Câncer de Pele

Se proteja do câncer de pele

 

É preciso tomar muito cuidado com o excesso de exposição ao sol.
Esperam-se 176.930, sendo 83.770 casos novos de câncer de pele não melanoma nos homens e 93.160 nas mulheres no Brasil, para o triênio de 2020-2022. Esses valores correspondem a um risco estimado de 80,12 casos novos a cada 100 mil homens e 86,65 a cada 100 mil mulheres.
O câncer de pele não melanoma em homens é mais incidente nas Regiões Sul, Centro-Oeste e Sudeste, com um risco estimado de 123,67/100 mil, 89,68/100 mil e 85,55/100 mil, respectivamente. Nas Regiões Nordeste e Norte, ocupa a segunda posição, com um risco estimado de 65,59/100 mil e 21,28/100 mil, respectivamente. No que diz respeito às mulheres, o câncer de pele não melanoma é mais incidente em todas as Regiões brasileiras, com um risco estimado de 125,13/100 mil (Centro-Oeste), 100,85/100 mil (Sudeste), 98,49/100 mil (Sul), 63,02/100 mil (Nordeste) e 39,24/100 mil (Norte).
Quanto ao câncer de pele melanoma, o número de casos novos estimados será de 4.200 em homens e de 4.250 em mulheres. Esses valores correspondem a um risco estimado de 4,03 casos novos a cada 100 mil homens e 3,94 para cada 100 mil mulheres.
¨
Mais comum em pessoas com mais de 40 anos, o câncer de pele é raro em crianças e negros, com exceção daqueles já portadores de doenças cutâneas. Porém, com a constante exposição de jovens aos raios solares, a média de idade dos pacientes vem diminuindo.
¨
Ações de prevenção primária, como a proteção individual contra a luz solar, são altamente efetivas e de custo relativamente baixo para a prevenção do câncer de pele, inclusive dos melanomas. A educação em saúde para a população e a promoção de ambientes que propiciem a proteção contra as radiações solares, principalmente nos ambientes de trabalho e lazer, também são efetivas para a coletividade.
No Brasil, as pessoas chegam à praia ou à piscina no pior horário – entre ás 10 horas da manhã e às 4 horas da tarde – e, ao invés de protetores solares, abusam de bronzeadores.
Sem chapéus nem óculos escuros de qualidade, ficam expostas aos raios ultravioleta por horas. Assim, os casos de câncer de pele são bastante frequentes e, com a chegada da temporada de calor, a incidência é ainda muito maior.
Mas o câncer de pele tem um dos índices de cura mais altos dentre todos os tipos de câncer, desde que ele seja diagnosticado bem precocemente. Do contrário, ele pode se disseminar pelo corpo atingindo outros órgãos e levando o paciente à morte.
Além de quem se expõe ao sol excessivamente, pessoas que possuem familiares que já tiveram câncer de pele; pessoas de pele, olhos ou cabelos muito claros e aquelas que possuem grande quantidade de pintas de nascença devem tomar cuidado redobrado, pois são as mais propensas ao desenvolvimento de câncer de pele .
PREVENÇÃO
  1. Evitar exposição prolongada ao sol entre 10h e 16h.
  2. Procurar lugares com sombra.
  3. Usar proteção adequada, como roupas, bonés ou chapéus de abas largas, óculos escuros com proteção UV, sombrinhas e barracas.
  4. Aplicar na pele, antes de se expor ao sol, filtro (protetor) solar com fator de proteção 15, no mínimo.
  5. Usar filtro solar próprio para os lábios.

 

SINAIS E SINTOMAS

O câncer de pele não melanoma ocorre principalmente nas áreas do corpo mais expostas ao sol, como rosto, pescoço e orelhas, podendo destruir estas estruturas.

Aprenda afazer o autoexame de sua pele
Você sabe distinguir o câncer de pele de uma alteração normal? Veja aqui algumas instruções bem simples para a realização de um autoexame de sua pele.QUANDO ESTIVER SE EXAMINANDO, SEMPRE DESCONFIE DE:
> Manchas na pele que coçam, descamam ou sangram de vez em quando;
> Pintas ou sinais (mesmo os de nascença) que mudam de tamanho, forma e cor;
> Ferimentos superficiais que não cicatrizam depois de duas semanas;
SIGA O MÉTODO DO “ABCD”, DESCONFIANDO DE: >
Assimetria
Bordas irregulares
Cores múltiplas
Diâmetro maior que 6 milímetros

 

Nesses casos, deve-se procurar o mais rápido possível o médico dermatologista (especialista em pele).

Fonte: INCA